From Generative to Performing

by Pedro Alves da Veiga. This article proposes generative art as a framework for creating complex multisensory and multimedia experiences, characteristic of performing arts. Generative art is all art that in whole or part is created by means of an autonomous system, i.e. a non-human system that independently determines features of an artwork that would otherwise require decisions made directly by the artist. The artist will usually take on the role of a framework designer, and the system evolves freely within that framework and its defined aesthetic boundaries. If the historic, noncomputer driven predecessors of generative art— especially algorithmic art—much …

ALCHIMIA – instalação de arte generativa audio-visual interactiva

por Pedro Alves da Veiga. ALCHIMIA: uma transmutação misteriosa ou inexplicável, um processo aparentemente mágico de transformação, criação ou combinação. Num universo onde as câmaras se tornaram uma presença constante, desejadas ou não, a nossa relação com a nossa própria representação digital é frequentemente resumida à selfie, preparada como se de um espelho se tratasse, onde projectamos uma visão de um nosso “eu”, cuja pose, iluminação e expressão controlamos em absoluto e desejamos partilhar com os outros. Alchimia procura acentuar essa relação, trazê-la para um plano muito presente, ao centrar-se visualmente apenas rosto do observador, tentando manter esse rosto sempre no …

despertaDOR – põe-te no lugar deles

por Ana Marques. Instalação tridimensional com vídeo e realidade aumentada. O título despertaDOR representa o exacto sentido da obra, que pretende transmitir uma mensagem, consciente de que o faz através do despertar de algum incómodo, que pode ser “dor”, dependendo da sensibilidade do espectador. O projeto foi apresentado na ParatissimaLisboa, que teve lugar em Alfama em Julho de 2016. Posteriormente integrou a mostra da XIX Bienal de Cerveira, em Vila Nova de Cerveira, estando agora disponível para ser apresentado em outros contextos. A OBRA A obra tem a forma de um cubo gigante que se assemelha a uma jaula e é …

DESASSOSSEGOS – instalação generativa, nervosa e inquietante

por Pedro Alves da Veiga. DESASSOSSEGOS: Imagens inquietas pairantes como pensamentos que insistem em voltar, sons que se interligam com a vida e a memória, as opiniões dos outros que nos desassossegam, a facilidade com que mecanicamente tudo reduzimos a 4 ou 5 expressões… as notificações que nos perseguem. Baseado na personalidade de Fernando Pessoa e em fragmentos do Livro do Desassossego, esta instalação reage ao posicionamento e movimentos do interactor, ao seu “desassossego”, fazendo girar as múltiplas imagens de uma vida que podia ser a nossa – talvez seja a nossa – numa sucessão onírica de associações: imagens, textos, sons, …

ARBOR

por Ana Marques e Rui Gaspar. ARBOR é um artefacto interativo, transdisciplinar que nasceu da versatilidade formativa dos autores. Trata-se de um artefacto de média-arte digital, que combina arte e tecnologia através da escultura, computação e eletrónica. Da união entre estas três áreas e de um intenso gosto pela palavra escrita, pela literatura, nasceu este sistema, constituído por uma “Árvore de Letras” que excede a mera operacionalidade física do ato de escrever. O sistema permite a escrita interativa pelo público, cujas palavras por si escritas, através do toque nos globos das letras são instantaneamente impressas numa “Árvore das Palavras” virtual, …

OMMANDALA – Instalação interactiva controlada por som

por Pedro Alves da Veiga. OMMANDALA é uma instalação baseada num gerador interactivo de mandalas surreais, controlado por voz e/ou som. A mandala é um símbolo espiritual e ritual nas religiões Hindus. Representa o universo e é construída de acordo com um conjunto de regras bem definido, tal como a arte generativa. Originalmente as mandalas eram usadas para focalizar a atenção dos praticantes e adeptos, como ferramentas auxiliares de orientação, e para estabelecer um espaço sagrado, ajudando na indução de transes.   Nos últimos anos o mundo ocidental apropriou-se do termo para designar diagramas, mapas ou padrões geométricos que representem …

NO TIME, NO SPACE, ONLY FLOW – instalação generativa de fusão visio-espaço-temporal

por Pedro Alves da Veiga. NO TIME, NO SPACE, ONLY FLOW é uma instalação interactiva que utiliza imagens captadas por uma webcam, desconstruindo-as e usando pequenas amostras do original, em que se misturam momentos do passado e do presente num fluxo perpétuo, sem tempo, sem espaço. Apenas um fluxo. Programado em Processing.