ALCHIMIA – instalação de arte generativa audio-visual interactiva

por Pedro Alves da Veiga. ALCHIMIA: uma transmutação misteriosa ou inexplicável, um processo aparentemente mágico de transformação, criação ou combinação. Num universo onde as câmaras se tornaram uma presença constante, desejadas ou não, a nossa relação com a nossa própria representação digital é frequentemente resumida à selfie, preparada como se de um espelho se tratasse, onde projectamos uma visão de um nosso “eu”, cuja pose, iluminação e expressão controlamos em absoluto e desejamos partilhar com os outros. Alchimia procura acentuar essa relação, trazê-la para um plano muito presente, ao centrar-se visualmente apenas rosto do observador, tentando manter esse rosto sempre no …

despertaDOR – põe-te no lugar deles

por Ana Marques. Instalação tridimensional com vídeo e realidade aumentada. O título despertaDOR representa o exacto sentido da obra, que pretende transmitir uma mensagem, consciente de que o faz através do despertar de algum incómodo, que pode ser “dor”, dependendo da sensibilidade do espectador. O projeto foi apresentado na ParatissimaLisboa, que teve lugar em Alfama em Julho de 2016. Posteriormente integrou a mostra da XIX Bienal de Cerveira, em Vila Nova de Cerveira, estando agora disponível para ser apresentado em outros contextos. A OBRA A obra tem a forma de um cubo gigante que se assemelha a uma jaula e é …

DESASSOSSEGOS – instalação generativa, nervosa e inquietante

por Pedro Alves da Veiga. DESASSOSSEGOS: Imagens inquietas pairantes como pensamentos que insistem em voltar, sons que se interligam com a vida e a memória, as opiniões dos outros que nos desassossegam, a facilidade com que mecanicamente tudo reduzimos a 4 ou 5 expressões… as notificações que nos perseguem. Baseado na personalidade de Fernando Pessoa e em fragmentos do Livro do Desassossego, esta instalação reage ao posicionamento e movimentos do interactor, ao seu “desassossego”, fazendo girar as múltiplas imagens de uma vida que podia ser a nossa – talvez seja a nossa – numa sucessão onírica de associações: imagens, textos, sons, …

ARBOR

por Ana Marques e Rui Gaspar. ARBOR é um artefacto interativo, transdisciplinar que nasceu da versatilidade formativa dos autores. Trata-se de um artefacto de média-arte digital, que combina arte e tecnologia através da escultura, computação e eletrónica. Da união entre estas três áreas e de um intenso gosto pela palavra escrita, pela literatura, nasceu este sistema, constituído por uma “Árvore de Letras” que excede a mera operacionalidade física do ato de escrever. O sistema permite a escrita interativa pelo público, cujas palavras por si escritas, através do toque nos globos das letras são instantaneamente impressas numa “Árvore das Palavras” virtual, …

OMMANDALA – Instalação interactiva controlada por som

por Pedro Alves da Veiga. OMMANDALA é uma instalação baseada num gerador interactivo de mandalas surreais, controlado por voz e/ou som. A mandala é um símbolo espiritual e ritual nas religiões Hindus. Representa o universo e é construída de acordo com um conjunto de regras bem definido, tal como a arte generativa. Originalmente as mandalas eram usadas para focalizar a atenção dos praticantes e adeptos, como ferramentas auxiliares de orientação, e para estabelecer um espaço sagrado, ajudando na indução de transes.   Nos últimos anos o mundo ocidental apropriou-se do termo para designar diagramas, mapas ou padrões geométricos que representem …

NO TIME, NO SPACE, ONLY FLOW – instalação generativa de fusão visio-espaço-temporal

por Pedro Alves da Veiga. NO TIME, NO SPACE, ONLY FLOW é uma instalação interactiva que utiliza imagens captadas por uma webcam, desconstruindo-as e usando pequenas amostras do original, em que se misturam momentos do passado e do presente num fluxo perpétuo, sem tempo, sem espaço. Apenas um fluxo. Programado em Processing.