ELEANOR MARX de Graça P. Corrêa

CCB – Centro Cultural de Belém

Auditório do Bescénico (reposição)

Encenação:

Graça P. Corrêa

Cenografia: Luis Balula; Figurinos: Maria Gonzaga; Luz: Pedro Marques; Som: Carlos Arroja; Direcção Técnica: Paulo Cacheiro; Assistente de Produção: Teresa Rouxinol; Fotografia: Pedro Soares; Produção: ArtCom; Co-Produção: Fundação das Descobertas / Centro Cultural de Belém; Financiamento e apoios: Ministério da Cultura / Fundação Calouste Gulbenkian; Com: Ana Lacerda, Ângelo Torres, António Filipe, Carlos Aurélio, Cristina Carvalhal, Elsa Galvão, Helena Flor, José Neves, Luciana Ribeiro, Pedro Carmo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Texto inédito que emergiu de uma pesquisa sobre a filha mais nova de Karl Marx. Baseando-se em factos reais, a peça revela instâncias da vida privada dos Marx, bem como de algumas personalidades conhecidas do círculo londrino nos finais do século XIX, como Bernard Shaw, May Morris, Paul Lafargue e William Thorne. Numa trama de teatro dentro do teatro, o texto contrapõe esta sociedade “fin-de siècle”, em que se discutem alternativas colectivas para a organização da sociedade, ao tempo presente, bastante mais individualista e pragmático.

Agosto/Setembro 1999

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *